3.9.08

Ouro de mina

De herança herdada, boca, olhos, pele, estatura, sou uma parte e um todo. Indecifrável. De herança transmitida, fala, olhar, tensão, postura, sou artesã rebelde e rouca, cada dia uma parte, cada dia um todo, cada dia um parto. Rasurável.

Herdei olhos claros, mas recuso sua tristeza, mãe. Sua melancolia. Herdei dedos longos, mas os meus procuram mais as carícias. Eu tenho fome, pai, por isso rejeito sua herança de ferro, de contenção, de controle. Herdei lábios finos, mas falo por eles como quem sofre, e pede, e recusa a morte, o tempo que acaba, a reserva. Tenho-os ávidos, loucos, irascíveis, intermináveis. Indivisos.

Sou pequenina de um modo estranho, porque me sinto breve sobre a terra interminável do tempo. Meu corpo se espalha, lúcido e livre, sobre tormentosas fronteiras. São histórias inacabáveis, que me alongam desde o nordeste, de onde vim, e me expandem em sulistas memórias - frio, deserto, tempestades. Nascimentos.

Herdei o mar e sua vastitude. Herdei a planície de araucárias. Mas desde sempre eu sou daqui. E de agora. De um agora mineiro que é sempre fundo e leve, que é mistério e destino. Gerais. E particulares obras.

Não herdei a parcimônia de minha mãe. Mas sua loucura. E sou generosa como meu pai. Mas mais arrogante. Herdei a alma medrosa, e o pensamento rápido. Dos dois. Mas passo os dias fugindo desse peso. E dessa velocidade.

Herdei sua fala, sua miséria, seu acalanto. Herdei seu medo da morte, sua violência, seu carisma. Herdei deles o que nem eles tinham, e o que nem estava inteiro. Herdei deles o que me espanta e comove. O que me redime. O que me estraçalha.

Herdei seu corpo e sua luminescência. Sua pele, seu sangue, seu sistema. Os livros, as músicas, os parentes. Alguns desejos, alguns critérios. Algumas sementes.

E um jeito, eu acho, meio enviesado, de olhar pra sempre.
!!! A inspiração para esse post veio daqui e daqui.

6 comentários:

paulo andré disse...

minha herança é indizível.
a não ser a pressão alta, que herdei do meu pai.

Kátia disse...

MA-VA-VI-LHO-SO !!!! Rebecca, venha de onde vier sua inspiração, suas heranças geneticas, psicologicas, sentimentais, emocionais, dão a ela uma caracteristica unica, que voce traduz e nos presenteia em textos tão lindos, delicados... Um milhão de vezes parabéns. Sua fã, Kátia.

J. Caribé disse...

Muito, muito bonito.
Parabéns!

Beijo.

Rebecca P. disse...

Paulo, vc fez um poema, sabia?

Kátia, obrigada... fico até sem graça com os elogios, mas gosto... rsrsrsrs!

E j., fico feliz de vc ter gostado... volte mais, viu?

Vinícius Brangoh disse...

minas vindas da mesma fonte de ouro e o verbo herdado do tesouro interior. Pois mineiro cava fundo o mineral da sua transcendência.
mto legal a poética por aqui.

Rebecca P. disse...

Obrigada, Vinícius! Volte sempre, viu?