18.5.08

Sim.

Sim, meu amor, eu estou aqui. Eu estarei sempre aqui. Pro que der e vier. Na saúde e na doença. E em seus intervalos. Na alegria e na tristeza. E quando vierem os amigos. No tédio e no abandono. E quando tudo for insuportável. Na miséria e no repouso. E no meio da rua. Na esquina e no silêncio. E no domingo à tarde. Na hora do almoço. Na hora do banho. Na virada do tempo. No resfriado. Na ressaca e na bebedeira. Na saideira. Nas estréias de cinema. Nas estradas empoeiradas de minas. Nos aeroportos que ainda conheceremos. Na nossa primeira viagem de avião. E de navio. No futuro. No tempo desobrigado do futuro, onde podemos sonhar sem ser vistas. No fio do tempo. No espelho de água. No grito de socorro. Nos nossos sobrinhos. No espanto. Na dor de te perder. E de tentar te reconquistar. Na chuva e no sol e nos labirintos da mente. No outono e nos dias frios de inverno. Em silêncio, te vendo crescer, como uma nuvem que expande seus calafrios pelo céu de outubro. Como uma música leve, que firma harmonia enquanto se suspende pelo ar. Como uma mulher toda nova, que eu ainda não conheço. E temo. Estou também em tudo aquilo que você ainda não é. Mas será. Na dobra dos anos. Na festa de formatura. No seu casamento. Seja comigo ou com outras. No seu sono inquieto, brigando com altos fantasmas. Na sua dor de coluna, na sua febre, no seu próximo resfriado. Nos olhos molhados. Estarei contigo quando conhecer Paris. E Viena. E Teófilo Otoni. Estarei com você quando virar o verão. E a primavera começar a te cobrir de flores. Estarei com você na rodoviária e no banheiro do boteco. Nos salões e nos prêmios de honra ao mérito. Nos hospitais e nos congressos. Nas rapidinhas, nas demoradas. Nas paixões momentâneas e nas perenes. E nas intermitentes. Estarei a postos quando estiver triste. E quando chorar de sufocada alegria. Estarei ao seu lado quando você partir para outra dimensão. Ou para outros destinos países. Seja antes ou depois de mim. Estarei com você como com uma serena parte de mim mesma. A parte que te pertence sem cobrar por isso. A parte que te cabe, que me define, que me comove. A parte que sabe da impermanência das coisas. E da interminabilidade das coisas. A parte que sabe que estaremos sempre juntas. Sempre. Mesmo quando separadas.

14 comentários:

lola aronovich disse...

Oi, Rebs! Obrigada por visitar meu blog e por me acrescentar aos seus links. Seus textos são muito gostosos de ler. Estou meio sem tempo agora, depois leio com mais calma. Mas, pelo que pude pescar, vc mora em BH e tem doutorado. Vc usa esse título pra alguma coisa? Dá aula? Essa é a dúvida que me consomo: se, ano que vem (se tudo der certo), quando eu também for "doutora", isso servirá pra alguma coisa. Ah, e como vc sabe quantas baratas já matou na vida? (adorei o "uma aranha (afogada)".
Abração!
www.escrevalolaescreva.blogspot.com

Aquarela disse...

Dizer sim é coisa que quase não ouço hoje em dia.

Juarez disse...

"Dizer não é dizer sim", já cantou o Kid Abelha...

O gato mira o telhado (...) e pula, avança.

Amo você!

Beijos

Às vezes Amanda disse...

Fantástico. Este sim, é um SIM completo, sem máscara, é toda você numa entrega que não poderia ser parcial. É lindo.

Obrigada pela visita!
Flog já linkado no meu blog...rs..

Beijos

: : Ju Sampaio : : disse...

Que bonito isso, Rebs! Um beijo aí na parte que ficou sozinha.

Anamara disse...

Muito bonito mesmo.
bjo!

é nóis no rio disse...

ahazou
mais uma vez
a inspiração e uma parte boa que floresce nessas horas

ta todo mundo achando lindo

mais bonito que o rio de janeiro

lu monica ana flavia in rio

marcela dantés disse...

rebs, querida.
que lindo isso.
do fundo do coração, que muitos países destinos e muitos amores destinos aconteçam ainda pra você.

Rebecca disse...

Puxa, gente, obrigada por esse carinho todo!

Já não me sinto tão sozinha...

Beijo imenso em cada um de vocês!

Janine Avelar disse...

rebs,
amei seu texto...
tá mto lindo...
tô um pouco deslocada do assunto (nao sei o q rola nestes lados daí), mas fiquei chocada com a declaraçao do SIM...
acho q até me casava com quem me escrevesse isso...
beijos e saudades!

crys disse...

Amiga, sei que essa não é "vc" a Rebeca q eu conheço, achei vc muito "deprimida", e sei q vc não é assim.
O Texto é muito lindo, mas não pra vc, pq vc jamais estara SOZINHA.
Bjos
Te ligo

Rebecca M. disse...

Janine, Crys, vcs são lindas!

eduarda_alves disse...

Você é fantástica. Vi seu blog por acaso, e não consigo mais sair dele! Vai virar minha página inicial rs. Amei todos os textos, são extremamente incríveis .. Beijoos!

Rebecca P. disse...

Obrigada, Eduarda!

Que bom que gostou! Volte sempre!!!

Bjos!