18.8.08

Linea


As cores da inspiração são assim mesmo, costumam vir todas misturadas, embaralhadas, trocando seus matizes em reverberantes formas...
sua fome é a de confundir poetas e desavisados, embora sejam sempre bem vindas, em sua vibrátil e cantante euforia... e dispersão...
mas às vezes, só às vezes, numa tarde de domingo, em um final de inverno, elas resolvem se estender organizadas, longilíneas, evanescentes, suaves e lânguidas, em feixes contínuos de luz... formam, então, linhas paralelas de múltiplas cores, adensando-se em dinâmicas horizontais ou verticais, largas ou estreitas, lívidas ou generosas, e se preparam para criar um universo de beleza todo especial...
um universo todo listrado...
que me move, colorido e urgente, para além de mim mesma... e de minhas lembranças...
e faz, de uma parede em sua matéria, de um par de longas pernas em seu tecido dançante, e de dois olhos sorridentes e queridos, um motivo de esfuziante alegria.
E tímida expansão.

4 comentários:

paulo andré disse...

adoro cores

Anônimo disse...

eu tbem gosto de ver os olhos de quem chega e da de cara com ela,por ser colorida,alegra a todos.

bjinho

Natu disse...

Oi! eu adoro ler seus textos cada vez que entro a seu blog.
minhas felicitaçoes :)
natu.

Rebecca P. disse...

Eu também, Paulo... : )

Anônima, a parede é linda mesmo... e a dona é ainda mais...

Natu, seu português é muito bom mesmo, heim? E vc está só no nível 1?! A escola pelo visto é excelente... E espero que meus textos possam ajudar na sua formação... rsrsrsrs!